Notícias

23 de junho de 2017

Aeromovel é solução tecnológica em tempos de crise na mobilidade das cidades

“Em tempo de crise na mobilidade urbana, a Tecnologia Aeromovel tem aplicações para reduzir o conflito em áreas conflagradas dentro do conceito de cidade para os cidadãos e não para os automóveis”, disse Marcus Coester, CEO da Aeromovel Brasil, em palestra a empresários que participaram do V Fórum Internacional de Infraestrutura e Logística, promovido pela Câmara Brasil-Alemanha no RS, na quinta-feira (22.06), em Porto Alegre.

Marcus abordou a necessidade de soluções por intermédio de novas tecnologias e tomou o exemplo da capital gaúcha para demonstrar que a crise se deve aos sistemas saturados e tecnologias ultrapassadas. “Nos últimos dois anos, embora com frota nova, as empresas de transporte urbano de Porto Alegre perderam 14% de passageiros. Sustentou que “as pessoas recorrem à bicicleta e aos aplicativos em busca de eficiência a custo menor”.

O CEO da ABSA indicou que a Tecnologia Aeromovel vem despertando a atenção de gestores públicos e especialistas em mobilidade que buscam soluções para caos urbano de cidades brasileiras e de outros países. Para isso, destacou, o sistema apresenta fundamentos técnicos como automação, baixa intervenção urbana, baixo custo de manutenção, e características conectadas com o futuro por ser ambientalmente sustentável.

A obtenção de patentes do aeromovel em países como Inglaterra, Alemanha, Japão e Estados Unidos atesta, segundo o empresário, o ineditismo do sistema de propulsão a ar, que movimenta os veículos, desenvolvido por seu pai, Oskar Coester, e que alcançou os primeiros resultados positivos ainda na década de 70.

Atualmente, o aeromovel funciona há 28 anos, ininterruptamente, em Jacarta (capital da Indonésia), tem projeto em implantação na cidade de Canoas (Região Metropolitana de Porto Alegre), com linha inicial de 4,7 quilômetros, e ainda opera o shutlle do Aeroporto Salgado Filho, em conexão com o Trensurb, transportando cerca de 4 mil pessoas/dia. Como observa Marcus Coester, esta operação do aeromovel na capital gaúcha, programada como obra de mobilidade para Copa do Mundo 2014, é a única da modalidade que foi inaugurada e funciona plenamente.

 

 

Compartilhar:

Voltar