Notícias

Novas perspectivas para a mobilidade

24 de agosto de 2020

Novas perspectivas para a mobilidade

Com o fim das restrições ao uso de transporte público em diversas cidades ao redor mundo, qual a perspectiva da mobilidade urbana para os próximos períodos?

 

O número de usuários do transporte público é um indicador chave de como as economias em todo o mundo foram e estão sendo afetadas pela COVID-19. Dessa forma, é preciso oferecer serviços que gerem confiança aos usuários para que retornem com segurança aos modais de transporte público.

 

Pelo mundo, países estão adotando uma série de medidas para gerar maior segurança e confiança para o retorno do usuário ao transporte público. Conforme pesquisa realizada pela Moovit, empresa líder em soluções de Mobilidade como Serviço (MaaS), entre as principais ações estão:

 

  • Informações acerca da chegada em tempo real para reduzir tempo de espera em paradas lotadas.
  • Maior frequência de veículos para reduzir aglomerações.
  • Abertura automática das portas.
  • Pré-reserva de assentos para viagens com passageiros limitados.
  • Informação com antecedência sobre lotação de veículos.
  • Pagamento por meio digital/sistema móvel.
  • Limpeza mais frequente e desinfecção de veículos.
  • Uso obrigatório de máscaras e luvas.
  • Janelas dos veículos abertas.

 

Mobilidade no Novo Normal

 

Nações como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Itália, França, Espanha e Alemanha estão incentivando o retorno ao uso do transporte público a partir do fator primordial do distanciamento social.

 

No Novo Normal, considerando os países indicados acima, a retomada de uso do sistema de transporte público pelos usuários ocorre concomitante ao aumento da circulação de veículos individuais. Além disso, outras alternativas de locomoção como bicicletas, caminhadas e caronas são utilizadas pela população.

 

Em média, a expectativa é que o retorno dos usuários seja gradual, com projeção de que o volume de passageiros volte a números semelhantes aos registrados antes da pandemia dentro de, aproximadamente, seis meses.

 

Fonte: Moovit

Compartilhar:

Voltar